Não, Lula não foi bom para a economia

Economia: Por Davi Carneiro*

Com a divulgação do déficit federal de 828 bilhões de reais em 2020, voltou a velha discussão de que “no governo Lula a economia estava uma beleza”. Isso não é apenas uma mentira, como uma versão completamente oposta aos fatos. A verdade é que grande parte desse déficit atual foi criado no próprio governo Lula.

O primeiro ponto da economia no mandato do ex-presidente, é que durante todo seu governo, Lula se orgulhou de políticas sociais e anticapitalistas. Vale ressaltar a alta que teve o dólar quando o candidato foi eleito presidente pela primeira vez. Suas políticas de aumento de impostos, dificuldade de abrir negócios e centralização estatal de modo com que o estado se tornasse responsável por tudo, foi algo pior do que a própria corrupção que alastrou em eu mandato.

Políticas antimercado, como as que marcaram o governo Lula, impedem a economia de crescer. Com a dificuldade de se abrir negócios, indivíduos não conseguem acumular capital para melhorar sua vida. O motivo disso é simplesmente porque o governo atrapalha tanto o empreendimento, seja por impostos ou por burocracias e regulamentações, que pessoas não conseguem abrir empresas, pois além de tornar mais difícil e demorado, torna ainda mais caro. Isso também vale para empregados, já que com aumento de direitos trabalhistas se tornou mais difícil e caro contratar empregados. A conclusão lógica seria a fuga para o trabalho informal, que chegou a acontecer, mas o governo Lula também dificultou e regulamentou a informalidade.

Além disso, o governo Lula conseguiu ser marcado pela criação da pior crise econômica já vista no Brasil. Lógico que ele não é o único culpado, Dilma, Temer e Bolsonaro dividem o posto com ele. Contudo, Luiz Inácio Lula da Silva defende a desonra de ter sido o maior responsável pela recessão.  Com uma política monetária de juros baixos artificialmente para liberalização de crédito sem lastro, o governo criou e injetou crédito na economia.

Essa política monetária, que teve início em 2005, foi a responsável pela postergação da crise de 2008, que segundo Lula seria apenas uma “marolinha no Brasil”, foi apenas o adiamento da crise, que de 2008, passou para o início da década de 2010.

Além de gerar inflação e bolhas econômicas, a política monetária de Lula gerou falsos indicativos na economia, gerando superproduções e até novos investimentos, que quando a expansão da base monetária acabou, esses investimentos não conseguiram continuar operando e deram errado. Resultando em falências, desemprego, e perda de valores monetários com a inflação, ou seja, as pessoas perderam poder de compra, já que de acordo com o efeito Cantillon, a inflação não atinge de forma igual todas as pessoas, sendo os mais pobres os mais afetados. Simplificando, os mais pobres perderam mais dinheiro, já que a inflação funciona como um imposto invisível.

A economia no governo Lula foi um dos maiores desastres econômicos da história. Sua política resultou em inflação, falências, desemprego, e ainda impediu e dificultou que essas pessoas pudessem sair dessa situação, já que tornou mais difícil a vida do empreendedor e ainda dificultou ainda mais um indivíduo a ser contratado. Governo Lula, assim como todos os governos de políticos de esquerda e de direita, foi marcado por mentiras e medidas tão egoístas quanto paliativas, e no final quem pagou a conta foi o povo.

*O texto é de responsabilidade do autor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *