Governo de Minas vai distribuir R$ 16 milhões para setor cultural

O Governo de Minas Gerais vai distribuir R$ 16 milhões em recursos do Fundo Estadual de Cultura “FEC” para fomentar o setor cultural dos 853 municípios mineiros. Serão contemplados temas como artes cênicas, música, audiovisual, literatura, culturas populares, artes visuais; além de formação e capacitação; e estruturação de sistemas de cultura.

Centro Cultural Aristides Dorigo, Recreio (MG).

A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais vai publicar, ao longo do primeiro semestre deste ano, sete editais para diferentes segmentos e linguagens da área cultural em Minas: Edital Cozinha Mineira, que irá contemplar festividades de cultura alimentar e gastronomia do estado; Edital Ações Especiais/EMC, para produção de obra audiovisual de curta-metragem de documentário e ficção; Edital Festas Populares, que vai abranger os quadrilheiros, as festas de Folias de Reis e as demais festividades de todo o estado. A ação inclui também edital destinado à elaboração e estruturação de sistemas municipais de cultura; outro contemplando projetos de animação; um edital destinado a modernização, melhoria e estruturação de arquivos públicos e bibliotecas municipais; e um voltado à formação de profissionais.

O primeiro edital a ser lançado foi o “Desperta Cultura – Premiação Pessoa Física”, publicado nesta terça-feira (11). O edital é voltado à formação e qualificação dos profissionais da Cultura. A ação vai disponibilizar R$ 2.490 milhões para projetos que contemplem ações de pesquisa e documentação, seminários, cursos, oficinas, workshops. As inscrições podem ser feitas de 26 de maio 2021 a 25 de junho de 2021, na Plataforma Digital Fomento e Incentivo à Cultura. Serão distribuídas até 385 bolsas/prêmios.

Baixe o Edital FEC 01.2021 – Desperta Cultura

 Formação contínua e diversa

Desperta Cultura é dividido em duas categorias:

Categoria 1 – serão aceitas propostas ligadas à oferta gratuita de ações educativas, formativas ou de aperfeiçoamento/qualificação no campo das artes e da cultura, que sejam inéditas e cujo acompanhamento seja possível exclusivamente em tempo real (ao vivo).

Nessa categoria, podem ser inscritos projetos em uma das seguintes linhas de ação:

a) Laboratórios de pesquisa e experimentação;
b) Oficinas ou workshops de curta duração;
c) Seminários;
d) Curso/capacitação de longa duração.

Categoria 2 – destinada à solicitação de bolsas de estudos para atividades educativas, formativas, de aperfeiçoamento e qualificação no campo das artes e da cultura. Os proponentes devem apresentar projetos estruturados em um percurso formativo, completo ou parcial, com carga horária total mínima de 12h e máxima de 72h, que sejam executáveis em até seis meses.

As propostas contempladas nessa modalidade poderão ser oferecidas de maneira virtual, presencial ou remota. No caso de atividades presenciais, é necessário seguir a todos os protocolos de saúde determinados pelos órgãos públicos.

Com informações: Site do Marcelo Lopes e Agência Minas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *